O futuro está no lugar que imaginamos na forma pé no chão

(*) Marisa Golin da Cunha

Ricardo Guimarães, da Thymus, nos diz que o futuro, hoje, está na imaginação pé no chão. Até há um tempo quando se pensava em futuro, a ideia era compor as perspectivas para um tempo de longo prazo. Mas hoje, com o que estamos vivenciando pela Pandemia, comunicações velozes e tecnologia com novas descobertas a cada momento, a ideia de “futuro” está modificada.

Hoje para pensar em futuro, deve se pensar em uma “estratégia proprietária” que vai dar inspiração, autonomia e agilidade para poder competir bem no jeito que o tal futuro se apresentar.

Esse conceito provém da ideia de dispor da competência de se adaptar ao imprevisto de se fortalecer com a instabilidade. Vejam quanta mudança de conceito e a velocidade que os novos ajustes exigem.

Qual é a mentalidade que o mundo está a exigir ? Cada vez mais o “Mindset de Crescimento”  festejado  no livro MINDSET , de Carol Dweck  (leitura obrigatória) se torna imperativo ! Temos a nosso lado, seres humanos, o conhecimento da neuroplasticidade cerebral, e, portanto, sabemos que é possível mudar e atingir novos patamares de competências e habilidades.

Recomendo, ouça a mensagem de Ricardo Guimarães no YOUTUBE e saiba que há pessoas especializadas em distinguir os mais diversos tons de branco para a sobrevivência, bem como outras especializadas na distinção de tons de verde… Vejam o que esse futuro está nos avisando sobre a volatilidade do presente. (https://youtu.be/K76ztSqGxyg).

E os Escritórios de Advocacia do Futuro, o que terão ? Você já pensou na jornada ao amanhã do seu Escritório ?

(*) Sócia Fundadora da RESULTATO-