Home Office e Escritório Virtual: qual a estrutura necessária

Por Marisa Golin da Cunha (*)

Há estatísticas nos informando que 74% dos escritórios de advocacia pretendem continuar com o trabalho em home office, mesmo quando passada a Pandemia.

Neste novo cenário é imprescindível, consequentemente, o uso intensivo de TECNOLOGIA. Esse insumo está estabelecido como pré- requisito básico para o negócio advocacia e aquele Escritório que avançar constantemente  neste conhecimento estará  em vantagem competitiva no mercado.

Para essa transformação digital,  relaciona-se, abaixo, quais são as necessidades para adotar o Home Office e Escritório Virtual de forma perene.

Para que a Equipe possa trabalhar diretamente de suas casas é necessário que o Escritório disponha de:

1. Servidor de dados em nuvem
2. Internet com boa capacidade (cabo ou wifi)
3. Software de Controle e Gestão Processual
4. Banco de Dados de todos os processos e consultas
5. Alimentação constante do andamento dos processos e consultas
6. Arquivo de Processos e Consultas Virtual Organizado em Pastas por Clientes
7. Central de Controles Processuais e de Consultas (Controladoria Jurídica)
8. Padronização de Documentos e nomeação dos mesmos
9. Treinamento para a Equipe fazer uso de todos itens acima

E para a Equipe de Advogados e de Apoio são necessários os seguintes itens, em suas casas para trabalhar em Home Office:

1. Computador
2. Internet (cabo ou wifi)
3. Câmara de vídeo
4. Microfone
5. Acesso ao Arquivo Virtual em Nuvem
6. Acesso ao Software de Controle e Gestão Processual
7. Todos os programas de Protocolos instalados em seus computadores
8. Eventualmente, celular do Escritório
9. Treinamento para o uso da Central de Controles Processuais e Consultas

Sabe-se que todos esses requisitos e posteriores procedimentos-padrão requerem mudança cultural apoiada no repensar, rever e remodelar do modelo mental existente.

Para  a adoção deste novo modelo mental digital está implícita a adoção da postura estratégica da Alta Administração do Escritório e comprometimento dos gestores.

Bem sabemos que é da natureza do ser humano a resistência a mudanças, o que deverá ser flexibilizado com treinamento, capacitação e qualificação, desenvolvendo novas habilidades e competências em cada um da Equipe.

Para dar início ou sequência a este novo formato de trabalho, recomenda-se um Plano de Ação estruturado e investimento para este novo palco.

(*) Marisa Golin da Cunha – Sócia Fundadora da RESULTATO
(marisa@resultato.com.br)