Banca Fragata e Antunes implanta QR Code no site para estimular acordos

Por Sérgio Rodas

Para facilitar a comunicação entre as empresas, partes e advogados nas demandas judiciais em curso, o escritório Fragata e Antunes Advogados criou um novo canal de negociação online em seu site.

O acesso é feito por um QR Code, que permite ao advogado do autor do processo judicial iniciar a negociação com as empresas representadas pelo escritório Fragata e Antunes visando a obtenção de um acordo.

Acionando o leitor de QR Code do seu celular, o advogado da parte autora conecta-se ao atendimento por WhatsApp do escritório e, apenas com a informação do número do processo ajuizado, já pode dar início à negociação de um acordo.

Quem responde pelo WhatsApp é um dos advogados especializados em negociação que faz parte da equipe do escritório, auxiliado por um sistema de robôs que identifica a situação do processo e os parâmetros para um possível acordo, com o consequente encerramento do caso sempre que possível.

Segundo a CEO da banca, Andressa Barros, todas as unidades do Fragata e Antunes estão aptas a proceder a negociações por esse novo canal, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

“Esta nova ferramenta é importante face ao isolamento social gerado pelas medidas de combate à Covid-19. Quando o isolamento terminar estamos prevendo um aumento no ajuizamento de novos processos da ordem de 50% em relação ao volume mensal atual, sobretudo em função das novas questões advindas das relações de consumo e relações de trabalho afetadas por esta pandemia. Nesse momento a nova plataforma de negociação ajudará a acelerar os procedimentos e o andamento dos processos e a desafogar a Justiça”, afirma ela.

De acordo com Andressa Barros, as empresas clientes do seu escritório se beneficiarão com a rápida solução de demandas, uma vez que poderão reduzir o volume de recursos financeiros provisionados. Ela revela que a banca acaba de receber mais 12 mil processos que serão migrados em plena pandemia, com toda equipe em home office.

Fonte: Revista Consultor Jurídico, 7 de julho de 2020, 19h45